Caracterização de risco e de estado nutricionais e sua relação com a demência e qualidade de vida em mulheres seniores institucionalizadas
pdf
XML

Palavras-chave

idosos
caracterização do estado nutricional
saúde física
saúde mental

Como Citar

Maria José Fraga Ávila, Marta Correia, Ana Maria Gomes, & Teresa Brandão. (2023). Caracterização de risco e de estado nutricionais e sua relação com a demência e qualidade de vida em mulheres seniores institucionalizadas. RIAGE - Revista Ibero-Americana De Gerontologia, 4. https://doi.org/10.61415/riage.86

Resumo

É sabido que a institucionalização de indivíduos seniores pode alterar o seu risco e estado nutricionais e comprometer a sua capacidade funcional, e a sua saúde física e mental frequentemente.

Este estudo prospetivo observacional realizou-se num lar de idosos da Ilha Terceira, como parte integrante de um estudo mais abrangente, com início em janeiro de 2023, aprovado pela Comissão de Ética para a Saúde da Universidade Católica Portuguesa. A amostra é constituída por 33 utentes, às quais foram recolhidos/calculados dados de avaliação de risco e de estado nutricionais (dados antropométricos, MNA), de capacidade funcional e de risco de sarcopenia (SARC-F e dinamometria), dados clínicos e de saúde mental (MMSE), e qualidade e satisfação com a vida (WHOQOL-Bref; SWLS). Os dados foram tratados em IBM SPSS versão 23.

Avaliaram-se 33 mulheres, cuja média de idades foi de 85±10 (65-100), com classificação por MNA de 63.7% (n=21) de mulheres em risco de desnutrição/desnutridas, e com valores de dinamometria inferiores ao percentil<10% de 75.8% (n=25). Dez-mulheres (30.3%) tiveram IMC sugestivo de magreza (<22 kg/m2); 30,3% (n=10) das mulheres pontuaram com pouca/ou nenhuma qualidade de vida e satisfação com a vida, mostrando associações positivas significativas com a dinamometria, o baixo IMC, um score mais baixo no MNA e um baixo MNSE e SARC-F, p<0.05. 

Os resultados mostram que as mulheres em risco nutricional e/ou desnutridas têm uma perceção da sua qualidade de vida e uma pontuação cognitiva mais baixa, associada a maior sarcopenia, e a pior estado nutricional. Apesar de todo o conhecimento e esforços mantém-se a necessidade de rastrear e intervir atempadamente nesta população.

https://doi.org/10.61415/riage.86
pdf
XML