Capacitação dos Cuidadores Informais de pessoas com demência através dos Grupos de Ajuda Mútua - Projeto “Demência em SOS”
pdf
XML

Palavras-chave

demência
cuidador
capacitação
atitudes
educação em saúde

Como Citar

Mônica Braúna Alencar Leão da Costa, Jaime Emanuel Moreira Ribeiro, Inês Paim Faria, Rute Sofia Rodrigues Costa, Tatiana Pereira Antunes, & Francisco Javier Vidal Barrantes. (2023). Capacitação dos Cuidadores Informais de pessoas com demência através dos Grupos de Ajuda Mútua - Projeto “Demência em SOS”. RIAGE - Revista Ibero-Americana De Gerontologia, 4. https://doi.org/10.61415/riage.85

Resumo

A demência é caraterizada por um desenvolvimento gradual e contínuo de múltiplos défices cognitivos, causando limitações significativas a nível social e ocupacional. A literatura indica que a grande maioria dos cuidados prestados às Pessoas com Demência (PcD) são feitos no domicílio, pelos Cuidadores Informais (CI). Cuidar de uma PcD é complexo, por isso estes cuidados ao longo do tempo podem ter um impacto direto e indireto na qualidade de vida e bem-estar do cuidador. Este estudo pretendeu explorar as experiências dos CI na participação nos Grupos de Ajuda Mútua (GAM). Este estudo enquadra-se no projeto “Demências em SOS”, com parceria da Associação Avós e Netos, no município de Torres Novas, com a participação de 10 CI de PcD.  Desenvolveu-se um estudo do tipo qualitativo, exploratório-descritivo, que teve como procedimento técnico o estudo de caso. Os dados foram recolhidos através de entrevistas semiestruturadas elaboradas para o efeito. A análise das sessões dos GAM, decorreram no período de janeiro a abril de 2022, com recurso ao software WebQDA. Os nossos resultados indicam que através dos GAM foi possível promover um olhar sobre a pessoa com demência, em que os cuidadores informais tivessem uma maior perceção sobre o cuidar, minimizando o sentimento de estigma sobre a pessoa cuidada. Permitiu ainda que os cuidadores estivessem mais atentos às ocupações inerentes (priorizando o autocuidado e gestão de tempo), bem como a justiça ocupacional coadjuvada pelos apoios externos e internos e educação em saúde. Os CI participantes nos GAM compreendem que não estão sós no cuidado a uma PcD, no entanto ainda existem lacunas na comunicação de serviços entre os familiares de PcD no contexto português.  Os GAM têm demonstrado a sua eficácia na diminuição de sentimentos de solidão e sobrecarga, além de ser um espaço de partilha de experiências, de conhecimentos, educação e promoção de empowerment, sendo uma ferramenta de cuidado de baixo custo.

https://doi.org/10.61415/riage.85
pdf
XML