Animais de estimação e qualidade de vida em adultos mais velhos
pdf
XML

Como Citar

Tânia Marisa Pires Gordinho, & Cláudia Cristina Guerreiro Luísa. (2023). Animais de estimação e qualidade de vida em adultos mais velhos. RIAGE - Revista Ibero-Americana De Gerontologia, 4. https://doi.org/10.61415/riage.72

Resumo

O crescente envelhecimento populacional é uma realidade observada em muitos países, especialmente na Europa. Esta alteração demográfica trouxe a necessidade de compreender e lidar com os desafios associados a essa fase do ciclo de vida, que nem sempre é acompanhada de qualidade de vida. Nas últimas décadas, a relação entre humanos e animais tem passado por transformações, o que tem contribuído para uma reconfiguração dos papéis desempenhados pelos animais de estimação na sociedade, especialmente pelos cães.  

A pesquisa objetivou investigar a relação entre adultos mais velhos e cães de estimação e avaliar a influência dos mesmos na sua qualidade de vida. Trata-se de um estudo transversal, qualitativo, de caráter descritivo e exploratório, recorrendo à técnica da entrevista semiestruturada. A amostra é composta por oito pessoas com mais de 60 anos residentes na cidade de Quarteira. Os resultados obtidos destacam a conexão especial entre idosos e os seus cães de estimação, considerados membros da família. A convivência traz benefícios como companhia, promove a atividade física e socialização. Os cães contribuem para a redução da tristeza e da depressão, aumentam a felicidade, a energia positiva, o entusiasmo, a disposição, a distração, o estímulo mental, as aprendizagens, a responsabilidade, o valor, o propósito e o sentido de vida. Também oferecem carinho, amor, consolo e podem suprir perdas humanas, despertando uma vontade renovada de viver. Conclui-se que os cães de estimação exercem uma influência positiva na qualidade de vida dos idosos, proporcionando benefícios a nível biológico, psicológico e social.  

https://doi.org/10.61415/riage.72
pdf
XML