Alto Minho + Inclusivo para um envelhecimento ativo e saudável: diagnóstico orientado para as comunidades ERPI com o Protocolo MAIEC©
pdf
XML

Palavras-chave

envelhecimento ativo e saudável
idosos
empoderamento e gestão comunitária
equipa multidisciplinar
modelo de avaliação e intervenção em enfermagem comunitária

Como Citar

Odete Maria Azevedo Alves, Pedro Miguel de Almeida Melo, Paula Clara Ribeiro Santos, Laura da Conceição Mendes de Brito, Olga Fernandes Franco Rodrigues, Maria da Graça Netto Lima da Silva Pereira Ferro, … Rui Pedro Teixeira Ferreira da Silva. (2023). Alto Minho + Inclusivo para um envelhecimento ativo e saudável: diagnóstico orientado para as comunidades ERPI com o Protocolo MAIEC©. RIAGE - Revista Ibero-Americana De Gerontologia, 4. https://doi.org/10.61415/riage.70

Resumo

O projeto “Alto Minho + Inclusivo para um envelhecimento ativo e saudável" trata-se de uma iniciativa conjunta entre entidades públicas e de solidariedade social do Alto Minho e conta com o envolvimento ativo da comunidade. Através de uma abordagem colaborativa e participativa, pretende criar um ambiente favorável à promoção da saúde e bem-estar da população idosa, contribuindo assim para uma sociedade mais inclusiva e coesa.

Pretende avaliar o Empoderamento comunitário e a Gestão comunitária como estratégias para garantir a participação ativa dos idosos e colaboração das instituições.

O Modelo de Avaliação e Intervenção em Enfermagem Comunitária (MAIEC©) é utilizado para entender as necessidades de saúde das comunidades, incluindo análise das populações, recursos locais, condições ambientais e sociais que afetam a saúde comunitária. Através de grupos focais com líderes/membros da comunidade foi avaliado o Empoderamento comunitário e com a aplicação de um questionário foi efetuado o diagnóstico da Gestão comunitária.

Em termos de diagnóstico da Gestão comunitária para a promoção do envelhecimento ativo e saudável das pessoas idosas residentes em Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, verifica-se que a Liderança comunitária – subdimensão “Conhecimentos”, Participação comunitária e Processo comunitário se encontram comprometidos. Quanto ao nível do Empoderamento comunitário, constatam-se seis domínios com score inferior a 2, comum a mais do que uma comunidade.

No Empoderamento comunitário, existem domínios suscetíveis de serem melhorados e a Gestão comunitária está comprometida. Torna necessário a implementação de um programa de intervenção multidisciplinar focado na promoção do envelhecimento ativo e saudável, considerando as comunidades como unidade de cuidados.

https://doi.org/10.61415/riage.70
pdf
XML