Percepção do Impacto do Coronavírus: Evidência de Validade Questionário de Impacto do Coronavírus – versão Curta - Validade do Coronavírus Impacts Questionnaire no Brasil
pdf
XML

Palavras-chave

estudos de validação
coronavírus
propriedades psicométricas

Como Citar

Fabiana de Souza Orlandi, Amanda Moretti de Souza, Cleanderson Costa da Silva, Diana Gabriela Mendes dos Santos, Layana Giselly Silva Ferreira, Thaís Lieko de Oliveira Takimoto, & Marisa Silvana Zazzetta. (2023). Percepção do Impacto do Coronavírus: Evidência de Validade Questionário de Impacto do Coronavírus – versão Curta - Validade do Coronavírus Impacts Questionnaire no Brasil. RIAGE - Revista Ibero-Americana De Gerontologia, 4. https://doi.org/10.61415/riage.109

Resumo

O presente estudo tem como objetivo verificar evidências de confiabilidade e validade da versão brasileira do Questionário do Impacto do Coronavírus (QIC-Br) - Versão Curta. Trata-se de um estudo transversal e psicométrico, da versão curta do QIC-Br. Foram respondidos os instrumentos: Caracterização sociodemográfica, a versão brasileira do QIC-Br curta e a Escala de depressão, ansiedade e estresse (DASS-21). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Participaram do estudo 134 pessoas, com idade média de 33,90 (± 15,39) anos. A versão curta do QIC-Br apresentou consistência interna satisfatória, com alfa de Cronbach de 0,81. Além disso, evidenciou validade de construto convergente ao ser relacionada com os domínios de ansiedade (r=0,244; p=0,005), depressão (r=0,359; p=0,001) e estresse (r=0,239; p=0,005). Também apresentou poder discriminativo segundo o nível de ansiedade, depressão e estresse. Na AFE as cargas fatoriais dos itens variaram de 0,804 a 0,898 no Fator 1, de 0,702 a 968 para o Fator 2 e de 0,688 a 0,967 no Fator 3. A versão brasileira do QIC-Br curta apresentou evidências de confiabilidade e validade e está disponível para uso no Brasil.

https://doi.org/10.61415/riage.109
pdf
XML